Energias Renováveis em Portugal – Eólica e Fotovoltaica

Evolução da produção de electricidade

Evolução da produção de electricidade 1 Associação Portuguesa de Energias Renováveis, acedido em 06/08/2014, http://www.apren.pt; .

 

A construção de sistemas capazes de produzir ou aproveitar a energia disponível de forma natural e não poluente tem sido uma das áreas de maior evolução tecnológica nas últimas décadas.

Evolução da produção de electricidade PRE Renovável

Evolução da produção de electricidade PRE Renovável 2 Associação Portuguesa de Energias Renováveis, acedido em 06/08/2014, http://www.apren.pt; .

 

Segundo a APREN 3 Associação Portuguesa de Energias Renováveis, acedido em 06/08/2014, http://www.apren.pt; , entidade que disponibiliza dados referentes à evolução da implementação deste tipo de sistemas assim como o seu impacto na produção de electricidade em Portugal, o aproveitamento destes recursos correspondeu, em 2013, a cerca de 32% da produção de electricidade.

Observando detalhadamente os dados, é facilmente identificável que a contribuição por parte das diferentes fontes não é igual.

Contribuição das várias fontes na produção de electricidade em Portugal (2013)

Contribuição das várias fontes na produção de electricidade em Portugal (2013) 4 Associação Portuguesa de Energias Renováveis, acedido em 06/08/2014, http://www.apren.pt; .

No âmbito desta temática e com o objectivo de apresentar e discutir o panorama actual das tecnologias eólica e fotovoltaica (PV), realizou-se no Instituto Superior Técnico, no dia 9 de Abril, uma palestra organizada pelo programa de Colóquios do Departamento de Física com o título “Electricity from Renewables in Portugal” 5 Colóquios do Departamento de Física, acedido em 05/08/2014,
http://tecnico.ulisboa.pt/pt/eventos/2014/4/Coloquios_do_DF_Electricity_from_Renewables_in_Portugal;
(Electricidade das Renováveis em Portugal) pelo Prof. Reinhard Schwarz (DF, IST) e com a participação de Aníbal Fernandes (ENEOP S. A. 6 Eólicas de Portugal, S.A., acedido em 05/08/2014, http://www.eneop.pt; ) e Luís Bastos (SIEMENS S. A. 7 SIEMENS S. A., acedido em 06/08/2014, http://www.energy.siemens.com/hq/en/renewable-energy; ).

A evolução e os avanços tecnológicos verificados nesta área são significativos quando comparados com a última década, mas ainda não conseguiram responder a algumas limitações de ordem técnica como a eficiência energética, custo versus potência instalada, vida útil dos equipamentos e manutenção e ainda, o preço dos investimentos que fazem com que a possibilidade de depender exclusivamente destas fontes seja ainda uma realidade um pouco distante. Por outro lado, a imprevisibilidade de determinados fenómenos meteorológicos, os quais não podem ser directamente controlados, pode afectar a capacidade de produção: a presença de nuvens, a inequívoca ausência de sol durante a noite, os períodos de vento fraco, entre outros. Assim, a energia eléctrica produzida em períodos cujas condições optimizam a capacidade de funcionamento destes sistemas, tem que ser acumulada e, a sua injecção na rede ajustada às necessidades de consumo. Alguns dos métodos mais usuais para a acumulação de energia passam pela utilização de baterias ou transformação da electricidade em energia potencial mediante o bombeamento em contra-corrente em estações de geração hídricas. A gestão de todos estes factores torna-se, por isso, num problema de optimização e controlo bastante complexo.

Os avanços científicos na área dos semicondutores conduziram ao desenvolvimento de painéis PV com eficiências superiores 8 National Renewable Energy Laboratory, acedido em 05/08/2014, http://www.nrel.gov/ncpv/images/efficiency_chart.jpg; e custos de produção tendencialmente decrescentes 9 The Economist, acedido em 05/08/2014, http://www.economist.com/news/21566414-alternative-energy-will-no-longer-be-alternative-sunny-uplands; , tornando a sua aplicação economicamente viável e diversificando assim, o conjunto de soluções nas quais estes podem ser integrados. Vários trabalhos têm mostrado a possibilidade de construir painéis flexíveis 10 ational Renewable Energy Laboratory, acedido em 06/08/2014, http://www.nrel.gov/docs/fy07osti/42058.pdf; , translúcidos 11 National Renewable Energy Laboratory, acedido em 06/08/2014, http://www.nrel.gov/docs/fy07osti/42058.pdf; ou até mesmo feitos com base em compostos orgânicos 12 National Renewable Energy Laboratory, acedido em 06/08/2014, http://www.nrel.gov/docs/fy12osti/55657.pdf; que, apesar de apresentarem uma menor eficiência, possibilitam a sua integração em superfícies e meios de uma forma mais funcional.

Eficiência de várias tecnologias de células fotovoltaicas e sua evolução ao longo do tempo

Eficiência de várias tecnologias de células fotovoltaicas e sua evolução ao longo do tempo 13 National Renewable Energy Laboratory, acedido em 05/08/2014, http://www.nrel.gov/ncpv/images/efficiency_chart.jpg; .

Fotografia aérea do Parque Solar Hércules, Serpa

Fotografia aérea do Parque Solar Hércules, Serpa 14 CATAVENTO, Produção de Energia Eólica S. A., acedido em 06/08/2014, http://www.catavento.pt; .

A área da energia eólica também tem apresentado mudanças tecnológicas significativas 15 ENERCON GmbH, acedido em 08/08/2014, http://www.enercon.de/pt-pt/index.html; . Algumas das inovações passam por novas geometrias nas pás dos geradores que reduzem as emissões acústicas e aumentam o rendimento, pela alteração do design dos componentes reduzindo o desgaste mecânico nas partes moveis e no esforço aplicado sobre a estrutura, aumentando a sua vida útil, pela implementação de sistemas de controlo activo. Estas inovações permitem a optimização do funcionamento dos geradores de nova geração, reduzindo os custos de instalação e operação destes equipamentos.
Os desenvolvimentos tecnológicos também se têm verificado noutros campos, nomeadamente na construção dos inversores 16Electrónica, acedido em 13/08/2014, http://www.electronica-pt.com/content/view/105/; e na reorganização da rede eléctrica. Os inversores são dispositivos que permitem converter a tensão contínua, proveniente de painéis ou geradores, em corrente alterna para que esta possa ser injectada na rede 17Electrónica, acedido em 13/08/2014, http://www.electronica-pt.com/content/view/105/;. Já existem dispositivos disponíveis no mercado que permitem realizar a conversão de potência com eficiências de cerca de 98%, reduzindo drasticamente as perdas durante o processo 18 SIEMENS S. A., acedido em 06/08/2014, http://www.energy.siemens.com/hq/en/renewable-energy; . A combinação das várias inovações citadas permite a maximização da quantidade de energia eléctrica que o sistema pode produzir.
Um exemplo expressivo da aplicabilidade da energia fotovoltaica em larga escala é o projecto do Parque Solar Hércules implementado em Brinches, Serpa. Construído entre 2006 e 2007, era à época o maior parque fotovoltaico do mundo, composto por 52300 painéis com uma potência instalada de 11MWp 19 CATAVENTO, Produção de Energia Eólica S. A., acedido em 06/08/2014, http://www.catavento.pt; . Dada a sua dimensão, a sua construção tornou-se numa referência da aposta de Portugal na energia fotovoltaica. Outro exemplo é o parque eólico do Alto Minho I 20 Empreendimentos Eólicos do vale do Minho S. A., acedido em 14/08/2014, http://www.eevm.pt; que é composto por cinco sub-parques, com uma potência total instalada de 240MWp, resultante dos 120 geradores ENERCON 21 ENERCON GmbH, acedido em 08/08/2014, http://www.enercon.de/pt-pt/index.html; de 2MWp cada, tornando-o num dos maiores da Europa 22 Portal Energia, acedido em 14/08/2014, http://www.portal-energia.com/os-maiores-parques-eolicos-do-mundo; .

Sub-parque de Picoto-São Silvestre, parte do Parque Eólico Alto Minho I

Sub-parque de Picoto-São Silvestre, parte do Parque Eólico Alto Minho I 23 Empreendimentos Eólicos do vale do Minho S. A., acedido em 14/08/2014, http://www.eevm.pt; .

No entanto, esta produção não é apenas uma realidade limitada às grandes indústrias e sistemas de produção de larga escala. Encontram-se inúmeras soluções de microgeração doméstica de energias renováveis ao alcance do consumidor particular, podendo até injectar parte da produção realizada na rede de distribuição eléctrica 24 Portal Energia, acedido em 14/08/2014, http://www.portal-energia.com/omniflow-tecnologia-portuguesa-inovadora-de-microgeracao-solar-e-eolica/; .

O panorama actual aponta para que o aproveitamento deste tipo de recursos em Portugal continue a crescer. Hoje, já existe uma consciência social da necessidade de implementar um programa energético nacional sustentável, tanto a nível económico como ambiental. Cumprir as metas na redução da poluição e das emissões de gases de efeito de estufa não passa apenas pelo desenvolvimento de equipamentos que produzem energia de forma limpa, mas também por garantir que o seu processo de construção seja ecológico. Os investimentos e parcerias desenvolvidas no âmbito das energias renováveis resultaram no desenvolvimento de novas abordagens e soluções tecnológicas, as quais têm vindo gradualmente a minimizar uma parte significativa das limitações inicialmente referidas. Desta forma, os trabalhos realizados nos centros de investigação e polos tecnológicos das faculdades e empresas tiveram e, certamente continuarão a ter, um papel fundamental no desenvolvimento das energias renováveis em Portugal.

Pedro Deus Lourenço

Pedro Deus Lourenço

A energia já não pode ser vista apenas como uma matéria-prima ou um produto final mas sim, como um recurso activo e um meio que acompanha todo o processo de concepção, desenvolvimento tecnológico, implementação e posterior funcionamento de um projecto de engenharia. A fronteira entre o sucesso e o insucesso é traçada na forma como abordamos esta questão, nas suas mais variadas vertentes, e acredito que o NETEC representa a concretização desta mesma ideia.
Pedro Deus Lourenço

Latest posts by Pedro Deus Lourenço (see all)

References   [ + ]

About Pedro Deus Lourenço

A energia já não pode ser vista apenas como uma matéria-prima ou um produto final mas sim, como um recurso activo e um meio que acompanha todo o processo de concepção, desenvolvimento tecnológico, implementação e posterior funcionamento de um projecto de engenharia. A fronteira entre o sucesso e o insucesso é traçada na forma como abordamos esta questão, nas suas mais variadas vertentes, e acredito que o NETEC representa a concretização desta mesma ideia.

Pedro Deus Lourenço

Pedro Deus Lourenço

A energia já não pode ser vista apenas como uma matéria-prima ou um produto final mas sim, como um recurso activo e um meio que acompanha todo o processo de concepção, desenvolvimento tecnológico, implementação e posterior funcionamento de um projecto de engenharia. A fronteira entre o sucesso e o insucesso é traçada na forma como abordamos esta questão, nas suas mais variadas vertentes, e acredito que o NETEC representa a concretização desta mesma ideia.
Pedro Deus Lourenço

Latest posts by Pedro Deus Lourenço (see all)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>